Você está aqui

História da Igreja

IGREJA METODISTA EM ALCÂNTARA - SÃO GONÇALO – RJ.  COMPLETA 58 ANOS.

          Tudo começou com um ponto de pregação criado pela Sociedade de Mulheres da Igreja Metodista Central em Niterói. Foi no ano de 1955. Nessa época, o rev.Moacyr Louzada Machado era pastor em Niterói, Sete Pontes e Mutuá. Nesse ano foi cedida pela irmã Inês Antunes Fernandes, uma casa no bairro Jardim Alcântara, onde ela residia com suas filhas Maria da Conceição, Carlinda, Eunice e Zilá. Essa casa seria um ponto de pregação. Elas se reuniam dominicalmente louvando a Deus, orando e lendo a Bíblia.

         Maria estava sempre à frente dos trabalhos, e também zelava pelo salão com muito amor e carinho. Às vezes para dar mais brilho ao chão, ela colocava uma das crianças, Edna ou Maria Inês, sentadas em uma flanela e as puxava, dando ao chão um brilho todo especial. O pastor, nem sempre podia comparecer devido à falta de condução e também os muitos afazeres que tinha nas Igrejas por ele pastoreadas. Alguns irmãos de Niterói davam uma assistência maior, querendo ver realmente a congregação se tornar independente. Entre eles citamos alguns nomes: Valério, Maria de Lourdes (Lurdinha), na época, presidenta da SMM, e seu esposo Dr.Dário Silva.

          Tempos depois, a Igreja em Niterói passou a responsabilidade do ponto de pregação  para a Igreja em Mutuá, por estar mais próxima e assim as irmãs poderiam participar da Santa-Ceia do Senhor com maior freqüência. Nessa época a Igreja em Mutuá era pastoreada por Hernani Ferreira Mota. O trabalho era muito difícil, as reuniões eram muito reduzidas, quase sempre as mesmas pessoas. Havia muitas dificuldades a enfrentar, mas as irmãs não desanimavam, aliás, esta é uma das características das mulheres.

          Quase sempre as irmãs ouviam palavras de desestímulo por parte de pessoas que não entendiam que Deus tinha um propósito em colocar uma Igreja Metodista em Alcântara. Algumas até diziam: “Se eu fosse vocês já teria desistido desse trabalho. Isto não vai adiante...” Porém as irmãs não desistiam, pois entendiam que quando Deus abre uma porta, o homem não pode fechar. E perseveraram cantando, orando e lendo a Bíblia, domingo após domingo.

          Tempos depois começaram a chegar mais pessoas e entre elas: João Batista e sua esposa Adelina, Waldelina e Roque, Mercedina e outros. O grupo foi ganhando força, até que um dia o irmão Valério fez uma oferta ao Senhor e deu de presente o terreno que ele havia comprado a prazo em Alcântara. Assim foi feito. E o terreno é este o que ocupamos hoje.

          Quando o ponto de pregação chegou aos treze membros, passou a categoria de congregação. Isso se deu no pastorado do rev. José de Freitas, pastor em Niterói. Os irmãos então partiram para a construção de um pequeno, porém lindo e aconchegante templo. Criou-se mais tarde, uma escola pública onde lecionavam as irmãs Zilá e Guiomar (cedida pela Ig. em Niterói). Certa vez uma enchente veio e para nossa tristeza destruiu os livros de nossa Igreja.

          Após esses trabalhos no dia 24 de Junho de 1955 a congregação foi elevada à categoria de Igreja. O primeiro pastor nomeado foi o rev. Antônio Batista da Silva. “Um pastor de verdade”, como diziam as irmãs e irmãos, afinal agora poderiam usufruir melhor de um pastor local. Muitos outros pastores foram passando e abençoando a Igreja. Dentre eles: Nadir Pedro, Paulo Pena Schutz, Walter Navarro, Adonias Bandeira, José Rui de Almeida, Francisco de Paula Ferreira, Alfredo Waldomiro, Waldemar Augusto, Rubens Mandú, Mauro Caldas, Antônio Sampaio, Hélio Fernandes, Uriel Teixeira, Maria de Oliveira, Luiz Cláudio Lima, Luiz Eduardo Santos, Ricardo Saavedra, Joel Alves, Ronaldo Breder, Romeu Carlos, João Batista, José Raimundo Guimarães e atualmente FRANCISCO RIBEIRO BENJAMIN. Durante esses 57 anos a Igreja cresceu, amadureceu e frutificou. Criando várias congregações que se tornaram Igrejas entre elas estão: Itaboraí, Jardim Catarina, Marambaia, São Jose de Imbassaí e Pacheco. A visão de crescimento de Deus é tremenda, pois o começo disso tudo veio através de algumas irmãs, que souberam e entenderam o chamado missionário em suas vidas. Podemos dizer com certeza que esses anos foram de muitas vitórias. Atualmente estamos com muitos projetos para retornar a essa caminhada de vitória. A Deus toda Honra, toda Glória e todo Louvor!

 

Ministério de Comunicação.